Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de novembro de 2010

As palavras que você não consegue responder



Você quer responder aos textos, mas não consegue, não é o seu orgulho é apenas uma forma de se sentir superior a algo que nem existe mais, escrevo palavras fáceis para vê se você entende, mas você irá entender, que quando deito a noite o mundo acaba para mim, pena que exista um outro dia e uma outra noite, eu apenas juntos palavras iguais, tentando montar quebra-cabeças diferentes, talvez eu esteja envelhecendo ou apenas colocando os pensamentos no lugar, você quer responder os texto e deixar os comentários que seu coração insiste em esquecer, me mostre quem realmente você é, porque infelizmente já não te conheço mais, responda mesmo que seja para dizer o quanto você me odeia, mas eu duvido que seja verdade, escreverei sempre provocando suas lágrimas, esperando que as balas não acertem seu peito, rezando para que você consiga chegar em casa, então responda, eu ainda sinto quando você pensa em mim.


Written By: Karrike Bongiovi
30/11/2010 - 01:38 a.m
(Ter)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Meu Mundo



Estou cansado de chegar em casa bêbado, quando o Sol começa a queimar a retina, minhas ressacas acontecem em manhãs que desconheço, e nem lembro quando foi a única vez em que eu me olhei no espelho, estou cansado de tentar matar aquilo que me cortar por dentro, estou deixando de viver, mas a muito tempo que eu nem sei o que é sobriedade, estou fumando e destruindo meus rins, chorando lágrimas erradas, falando palavras erradas nas horas certas, estou cansado de viver atrás destes óculos escuros, cansado de cantar canções e escrever sobre a minha eterna tristeza, eu não tenho asas, eu não sou um herói, o Sol ainda pode queimar a minha pele, estou caminhado sobre os cacos de uma vida antiga e em preto e branco, talvez algo mude com essas palavras, talvez nada mude, ainda estou bêbado e perdido, escrevendo nas madrugadas, se escondendo dos dias e encarando cada noite como a última, como a última chance de me encontrar fora deste mundo igual onde eu vivo e onde me acostumei a viver.


Written By; Karrike Bongiovi
29/11/2010 - 03:15 a.m
(SeG)
       

Os Olhos de Jessica



É nos seus olhos que me encontro, é na sua doçura e no eu medo bobo que brota mais amor no meu peito, eu amo você e não importa o que todos acham, eu estarei com você, mesmo que o mundo acabe, mesmo que eu morra, nada será em vão, podem até rasgarem nossa cartas, podem dizem o quanto sou vagabundo, mas eu amo você e é isso que importa, é nos seus braços que encontro a paz e é nos seus telefonemas diários que me sinto melhor, garota, eu amo quando você sabe que estou brincando com você, me deixe tentar, me deixe ser aquilo que eu sou, me deixe passear no seu corpo, eu apenas quero olhar dentro dos seus olhos, pois é neles que me encontro, eu amo sua voz, adoro sentir o cheiro da sua pele e tocar no seu cabelo macio, é em você que me encontro, e nos seu sorriso que moro, é para você que eu vivo.


Written by: Karrike Bongiovi
29/11/2010 - 01:58 a.m
(Seg)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Os Pés de Simone



Você não olhou para mim naquela festa, até eu curar seus pés, me perdoe se eu não pude estar com você todas as vezes que prometi, eu prometi curar sua coluna e deixar você feliz, nunca menti as vida que me deixou longe de você, adoro seu sorriso, me perdoe se tive que sair correndo daquela festa, me desculpa se fiquei tanto tempo sem dá noticias, eu tive que aclamar meu coração.
Você é linda e você sabe que eu nunca deixei de cumprir minha palavra, vou ajeitar a mala e procurar você, vou curar seus pés, vou curar suas dores e tentar deixar seu coração em paz, eu estarei ai para você, não pense o contrario, não deixe de acreditar, eu irei curar sua coluna e o seu amor cansado e desacreditado, amo seu pés Simone e estarei com você para te provar isso.


Written by: Karrike Bongiovi
26/11/2010 - 01:26 a.m
(Sex)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Abraço Partido (Tudo que deixamos para trás)



Onde você deixou seu coração? Talvez tenha deixado em minhas mãos sujas com todos os pecados e erros,  onde você foi parar? É tão difícil esquecer de você, sempre sonho com você em meio de casas em ruínas, tentando te ajudar a fugir, há tantas culpas em mim, há tanta saudade guardada durante todos esses anos, talvez dure a vida inteira, onde você foi parar? Onde eu errei? Eu sei onde errei como você sempre diz, é verdade sua.
 Por que foi deixar de acreditar na vida? Talvez tenha sido quando eu destruir seu coração que me amava tanto, saiba eu não tenho mais a necessidade de comover você, eu não posso mais curar suas dores e nem tão pouco segurar suas mãos e dizer as palavras que você tanto esperou que eu dissesse, eu te peço perdão, eu não quero saber que você anda se destruindo, apenas preciso saber o quanto você mudou e o quanto pode ser feliz.
O que ainda incomoda você? 
Por que você precisa ligar quando está bebada? Ligue quando sentir saudade e a dor não deixar você dormir. Você sabe que dentro do meu peito você fez morada, nunca consegui desbotar esse sentimento, nunca deixar de acreditar que um dia ainda possa vê você e ainda dizer o que faltou, mas acho que não faltou nada.
Onde eu deixei de aceitar minhas culpas? O tempo me amadureceu, mas ficou um silêncio continua cortado minhas madrugadas, hoje eu guardo um retrato e a saudade mais feliz, saudade de um tempo que seu abraço me mantia vivo, agora o caminho é solitário e a vida menos feliz.


Written by: Karrike Bongiovi
25/11/2010 - 0:01
(Qui)

MEINE FREUND UMARMUNGER VON DEUTSCHLAND
video

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Por que se sentir só?



Por que se sentir só? 
Estou com você, mesmo que seja apenas em pensamento, mesmo que a distância, seja longa e os dias demorem a passar, eu preciso saber se você ainda se sente feliz quando me vê, se realmente essa criança se alegra quando escuta a minha voz, eu estou aqui para você, esperando o dia de te encontrar, esperando a hora de olhar dentro dos seus olhos.
Por que se sentir perdida?
Ainda haverá tantos dias e alegrias, haverão tantas emoções, você nunca perguntou se realmente eu me sinto um pai de verdade, mas eu serei sim, paciência, existe tantos motivos para eu aceitar isso.
Por que achar o contrário, meu coração bate num compasso firme em dias complicados, eu estou um pouco com medo, mas feliz.
Então por que desistir?


Written by: Karrike Bongiovi
24/11/2010 - 17:53
(Qua)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Eu não amo você

Quando você partir
Não pense que vou tentar fazê-la ficar
E talvez quando você voltar
Eu terei saido para encontrar outro caminho

Afinal, depois de todo esse tempo que me tomou,
Você ainda é essa inútil que eu nem conheço
Então pegue suas luvas e vá embora
É melhor ir embora
Enquanto você pode

Quando você partir
Você deveria ainda sim voltar para dizer
"Eu não te amo
Como amava ontem"

Às vezes eu choro tanto por implorar
Tão doente e cansado dessa violência desnecessária
Mas, meu amor, quando te derrubarem
No chão e te jogarem pra fora
É lá que você deve ficar

Afinal, depois de todo o sangue que me tomou,
Um diar a mais é só outro golpe.
Então dê um jeito em seus olhos e levante-se
É melhor se levantar
Enquanto você pode

Quando você partir
Você sequer vai se virar para dizer
"Eu não te amo
Como amava ontem"




"


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Carta para o seu último dia


Quando tudo termina, sobra apenas o silêncio e não resta nada, nem portas e nem muros, simplesmente se cessam as palavras e do outro lado lágrimas, arrependimentos e despedidas, a chama apaga, os olhos se fecham lentamente, o que estava em movimento para, não há mais caminhos, não há estradas porque não existem mais passos e nem pegadas, resta um vazio presente, mas não mútuo, não há colapsos e nem caos, nada é simétrico, nada parece ser mais real, abranda o calor, cessa o frio, não há acenos, não existe fumaça, o vento leva o pó, se perdem as cinzas, risca-se os nomes, perde-se a memória, finda-se com a escuridão e renasce para a luz, é ai quando tudo começa.


Written By: Karrike Bongiovi
19/11/2010 - 0:05
(Sex)    

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Carta de Despedida



Eu queria escrever uma carta de amor para você, eu gostaria que chegasse as suas mãos, por favor não chore quando lê estas palavras de saudade.
Eu gostaria de dizer o quanto sinto por ter deixado você partir, eu não pude chegar a tempo, talvez eu nem devesse.
Eu desejo toda a sorte para você, desejo que seu coração viva para sempre pulsando com essa sua alegria, te desejo filhos e bom casamento, estou de malas prontas também, estou partindo para o desconhecido, chorando as lágrimas reais.
Eu procurarei não errar mais, prometo seguir em frente e deixando você seguir o caminho oposto, não é fácil para mim aceitar, mas é simples de resolver, estou apenas dizendo adeus e nada mais.
Eu quero que você viva a sua liberdade, deixando para trás todas as culpas e pensamentos contrários, eu buscando algo novo, estou deixando você partir de mim, porque se você permanecer viva dentro de mim eu vou morrer banhado nesta tristeza que atrapalha tudo que cerca, isso é um adeus simples, aquele que você esqueceu de me dá, aquele que não deu tempo de eu dizer no aeroporto, está carta deveria ser de amor e terminou sendo uma de despedida, terminou, simplesmente terminou, e já faz tanto tempo e eu não havia notado.


Written By: Karrike Bongiovi
09/11/2010 - 16:44
(Ter)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Eu Preciso que Você Leia Isso


Eu preciso de você, porque ultimamente você anda meio sumida e isso não é bom, eu preciso sentir o cheiro da sua pele, preciso entregar mais uma vez meu coração numa bandeja para você pisar dele novamente.
Eu preciso de um abraço forte, preciso de uma noite de amor, bebendo vinho e contando estrelas, aqueles momentos mágicos que se perdem quando você some e não diz se quer ou não quer, já faz tempo que a solidão se tornou a minha companhia.
Eu preciso de um motivo, você é o motivo que mantém viva essa esperança cega, a esperança de um dia você tocar a campainha abrir os braços e dizer "voltei".
Eu preciso de uma luz, preciso aceitar os meu erros, mas aceitando-os eu sei que aceito você, eu te amo e procuro em cada passo que dou uma nova chance de dizer o que está preso dentro destes anos de sofrimento, aquilo que tenho que dizer de certo, aquilo que você sempre esperou de mim.
Eu preciso de você, porque ultimamente eu ando meio triste e menos esperançoso, vejo tudo mais distante e cinza, eu preciso beijar você sem deixar as lágrimas rolarem, preciso sorrir verdadeiramente, você é o motivo pelo qual ainda sigo em frente, o motivo que faz eu querer viver.
Desculpa, eu precisei escrever essa palavras simples, esperando que você as leia e aceite meu pedido de perdão, que aceite dentro do seu coração este errante que tanto ama você e que nunca conseguiu te esquecer.


Written By: Karrike Bongiovi
08/11/2010 - 23:43
(Seg)


Queria que você, sem uma palavra, apenas viesse. 
(Clarice Lispector)

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Todos precisam de uma segunda chance



Eu não podia ter errado, não com você.
Todos precisam de uma segunda chance.
Eu sempre disse aquilo que sinto no meu coração.
Eu amo você, não importa o resto
Não importa o quanto somos inocentes nisso
Todos precisam de uma segunda chance.
Eu precisava respirar, eu preciso de você.
O seu sorriso lembra do meu que eu perdi neste longa caminha até chegar aqui.
Você me deu uma nova chance de começar.
Você encheu meus olhos de esperança.
Todos precisam de uma segunda chance.
Alguns sonhos não podem morrer assim.
Você quase morreu, eu quase perdi você.
Mas estamos aqui para contar a história
Estamos vivos e andando para a frente.
Todos merecem uma segunda chance.
Eu poderia chorar e ficar nesta tristeza.
Mas eu tenho você esperando por mim
Nesta sua doçura, tenho você nas horas em que tudo parece perdido.
Você me deu várias segundas chances
Todos merecem uma segunda chance.
Sem erros, sem dor e sem ressentimentos.
O que seria de mim sem você hoje?
 Eu não podia ter errado, não com você.
Mas eu não errei, estava sofrendo até você dizer que sempre há uma segunda chance.
Até você dizer que me ama, você me curou pela segunda vez.

Written By: Karrike Bongiovi
05/11/2010 - 01:25 a.m
(Sex)
video



quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Estrelíssima



Algumas estrelas tem seu brilho próprio, elas não precisam chamar a atenção, basta você olhar dentro do seu olhar vivo para você entender, algumas estrelas desfilam sobre as núvens desafiando a vaidade e a inveja de outras, essas estrelas balançam o cabelo e desmontam constelações, causam frisson, atormentam seus amantes, se impõem para o mundo e o resto dos planetas.
Algumas estrelas são feitas de doçura, mas são fortes com um diamante, elas curam corações, mesmo que muitas vezes deixem corações em pedaços, algumas estrelas nos ensinam a sorrir, as fotografias ficam mais felizes, existe um universo na palma das suas mãos.
Algumas estrelas brilham, mas não precisam ofuscar ninguém, essas estrelas tem o dom de se transformar em várias, menina, mulher, moleca, quando bem deseja se tornam fera, fazem festa, ateiam fogo no mundo.
Existe uma estrela de sufixo ímpar, ela é tão "íssima", estrela de luz própria e de coração puro, procura a verdade pelo mundo, escreve por nebulosas, anda sobre Júpiter, caminha no meu universo triste de palavras, acende uma chama de bondade, iluminam o mundo.


Written By: Karrike Bongiovi
 03/11/2010 - 22:15
(Qua)
video



segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A paz entre ruínas


Um minuto de paz, um instante, você estava tão bonita e viva neste sonho que eu deveria está sonhando, eu te abracei e esse gesto acalmou essa tormenta que é viver.
Você parecia tão feliz, vestida num vestido colorido, mesmo tudo ao nosso redor estando em ruínas, mas eu senti sua presença viva no meio deste sonho.
Um segundo de tranquilidade, eu não deveria ter acordado você brilhava com o Sol.
Eu amanheci no vazio do dia-a-dia, não sei se foi um sinal ou apenas um sonho a ser esquecido.
Mergulhei num oceano de sobriedade, senti algo que preciso e na sei onde encontrar.
Minha paz talvez não esteja em você, mas naquilo que sua presença sempre significou para mim.

Written by: Karrike Bongiovi
01/11/2010 – 16:00
(Seg