Pesquisar este blog

domingo, 30 de dezembro de 2012

As Lágrimas de Lindomar



Ele sentou a mesa e chorou, sentiu o peso dos erros, o medo da perda, as lembranças de sorrisos passados e a agonia sobre o futuro.
Ele chorou sobre o peso que encharca o coração. 
Os caras fortes também tem momentos de fraqueza.
Ele perdeu o limite entre o lixo e o luto, esqueceu que a vida é bem mais importante do que se entupir de álcool ou veneno.
Ele chorou com o arrependimento no peito, chorou com motivo e com saudade.
Ele caminha vagando com a lembrança daquilo que não pode ser mudado, como aquilo que quebrou e é difícil de colar.
Sentado a mesa ele desbulhou aquilo que alma sentia, tentou dizer uma palavra sem som, precisou de um amigo, deixou os escudos de lado e buscou a terceira ou a milésima chance.
Ele me deu um abraço e foi para casa trocando passos com a solidão.

Written By: Karrike Bongiovi
29/12/2012 - 23:51
(Sab)

Construção - Chico Buarque

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Desconstrução


Desmontei os ângulos e todos os planos, pus o destino numa mala fechei os olhos e deixei os anos passaram por mim.
Eu me iludi procurando a pessoa certa e fui deixando pedaços pelo caminho, transformando água em fogo.
Não procurei montar quebra-cabeças selei com meu silêncio os melhores poemas que eu poderia ter escrito. 
Escrevo num momento triste para que sua alegria seja sempre viva e fluente.
Desconstruí o meu rosto e o meu mundo pra te colocar numa caixa lacrada, mas você nunca esteve dentro da caixa e em mais nenhum canto dentro e fora de mim e do meu olhar.
Eu guardei os livros porque foi a única coisa que restou de você, além das lembranças.

Written By: Karrike Bongiovi
27/12/2012- 15:50
(Qui)

Rodox - Dia Quente

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Lembranças do Fim do Mundo



As coisas deram errado por aqui, quem sabe um recomeço, mas acho difícil, hoje o mundo que eu conheci tão duramente acaba e de uma forma áspera e seca.
Algumas coisas deixaram de fazer sentido, a solidão deixou de fazer companhia e as chamas da paixão e do ódio se tornaram brandas e transparentes. 
As vírgulas erradas se transformaram em pontos e esse mundo banhado de lágrimas já não existe mais. Deus desocupou seu trono ele não virá tocar trompetas e o céu continuará azul. É, as coisas deram errado por aqui, estaremos marchando juntos para o fim, visões apocalípticas, raios, apenas lembranças e curas cegas, o mundo que conheci ontem se extinguiu, mas sem bolas de gás ou fendas no chão, Deus soprou as velas e apagou os vulcões, ele deixou o final para pessoas especiais e nessa festa do fim acho que não seremos convidados. É erramos a data no calendário, demos nomes feios a coisas bonitas, ultrapassamos os limites, fomos a Lua, mas não conseguimos sermos abissais  Erramos sim, envelhecemos na juventude, buscamos na guerra salvação, hoje acaba aquilo que nossos erros provocaram, então saiam de suas trincheiras e olhem para o novo Sol e as novíssimas estrelas que penetram pelo cristalino e refletem na sua purificada alma. 
Aconteceu algo de errado com as previsões, os jornais de sábado enfatizam outras noticias, surge uma nova mentalidade e um conceito de recomeço, então Deus escreva certo nas linhas tortas desta vez, hoje nasce um novo mundo, um novo lar para todos nós, ninguém está contra ninguém, ninguém está mergulhado num mar de orgulho ou de qualquer outro sentimento fútil  estamos recomeçando a jornada em um caminho novo e diverso, eu sei Deus as coisas deram errado, os moldes foram bem feitos mas a matéria prima não era tão boa, então dê logo essa upgrade deixe que o mundo gira mais uma vez o compasso será feito nas pulsações de todos nós.
Erramos em acreditar sempre no pior...

Written By: Karrike Bongiovi
20/12/2012 - 02:20 a.m
(Qui) 

Cego



Eu era jovem, mas não era ingênuo
Eu assistia paralisado
Enquanto ela ia embora
E ainda tenho a dor que devo carregar
Um passado tão profundo que nem você poderia enterrar, se tentasse

Depois de todo este tempo
Eu nunca pensei que nós estaríamos aqui
Nunca pensei que nós estaríamos aqui
Quando meu amor por você era cego
Mas eu não conseguia fazer você ver isto
Não conseguia fazer você ver
Que eu amava você mais do que você jamais saberá
Uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir

Eu dormiria
Somente na esperança de sonhar
Que tudo seria como era antigamente
Mas noites como essas parecem estar passando rápido
Elas desaparecem conforme a realidade cai no chão

Depois de todo este tempo
Eu nunca pensei que nós estaríamos aqui
Nunca pensei que nós estaríamos aqui
Quando meu amor por você era cego
Mas eu não conseguia fazer você ver isto
Não conseguia fazer você ver
Que eu amava você mais do que você jamais saberá
Uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir

Depois de tudo isto
Você gostaria de partir?
Talvez você não pudesse acreditar
Que meu amor por você estava cego
Mas eu não conseguia fazer você ver isto
eu não conseguia fazer você ver
Que eu te amei mais do que você jamais saberá
Uma parte de mim morreu quando eu te deixei ir
E eu te amei mais do que você sempre saberá
Uma parte de mim morreu quando eu te deixei ir

(LIFEHOUSE)

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Felicidade


Nesta noite onde a felicidade faz festa no meu coração, onde as estrelas iluminam meu olhar eu sinto a vontade de viver o meu melhor e deixar de lado toda angústia, toda as coisas pequenas que atrapalham meu caminho. Junta-se a mim, venha, dance a melhor canção e faça parte de um momento que se eterniza vivo.
Nesta noite não preciso ser bêbado, n ão preciso pedir desculpas, me abraço com a alegria que dança junto com o teu corpo e tudo vai ficando colorido, os amigos vão chegando, então por favor faça parte desta mudança, veja o otimismo dentro dos meus olhos que derramam esperança que transbordam sentimentos nobres e sólidos.
Nesta hora de felicidade eu quero gritar, eu preciso dizer o quanto o sangue pulsa, sei que irá amanhecer, mas eu continuarei aqui, pulando e vivendo tudo em câmera lenta, hoje eu não preciso de vergonha, não preciso ser outra pessoa, hoje a felicidade me mantem em pé, pulsando vida.

Written By: Karrike Bongiovi
06/12/2012 - 11:45 a.m
(Qui)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Casa em Pedaços


Eu não queria, mas você mais uma vez me faz escrever sobre você, tudo parecia tão limpo e as coisas fluindo como uma autoestrada sem carros, existe algo em você que me incomoda talvez seja o fato de nunca termos realizados os sonhos que encomendamos.
Estou cansado de várias coisas comuns, me cansei das lágrimas e da chuva, hoje em dia não faz sentido acreditar em coisas bobas e coloridas porque meus olhos enxergam tudo em preto e branco, eu gostaria de desaparecer como uma estrela sem luz sem nada.
Eu não queria quebrar minha cabeça procurando palavras pra descrever esse sentimento que tem gosto de fim de festa, então vou parando por aqui antes que eu não aguente e quebre a casa inteira.

Written by: Karrike Bongiovi
29/11/2012- 14:48
(Qui)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Quarto de Hotel



Oitavo andar daqui eu posso vê o mar e as estrelas no mar, minha mente está a centenas de quilômetros daqui. Estou sozinho num quarto de hotel esperando um milagre, quem sabe se a garrafa de uísque me faz companhia nessa longa noite de sentimentos confusos.
Estou saindo daqui para criar uma nova história porque eu sei que não irei viver para sempre.
Eu ficarei sentado na sacada contemplando essa noite silênciosa compondo uma nova música sobre mudança porque daqui para frente me predestinei ao sucesso.

Written by: Karrike Bongiovi
17/11/2012 - 21:09
(Sab) São Luis - MA

Pena



Pena que as palavras mudem, pena que os anos se passem e os filhos crescem e mudem de palavras.
Pena que a saudade e a velhice sempre venha.
Pena que precisamos morrer e não podemos vê quem amamos crescer.
Eu sinto saudade de tanta gente, pessoas que partiram pra longe, pessoas que partiram sem avisar e pessoas que partiram para sempre.
Pena que precisemos escrever novas histórias se baseado em coisas velhas.
Pena que tudo muda, pena que seja necessario.

Written By: Karrike Bongiovi
18/11/2012 - 18:47
(Dom) Em voo São Luís/ Fortaleza

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Miss Snow Patrol


Me diga miss Snow Patrol por onde você andou todos esses anos?
Me diga se ainda lembra da carta no seu carteiro e se os anos da nossa primeira juventude ainda estão vivos dentro da sua melhor lembrança.
Me diga se tudo valeu e ainda vale a pena, você me lembra como as flores se tornam muito mais vivas no jardim das lembranças reais.
Me diga o que podemos fazer para experimentar você?
Diga miss Snow Patrol quais são seus sonhos, seus anseios porque suas virtudes já conhecemos.
Me diga qual a melhor canção a ser cantada ou aponte qual a estrela a ser seguida.
Me diga como você faz pra ter lábios tão perigoso?
Me diga miss Snow Patrol quando vou te encontrar novamente, da última vez foi tão pouco que não deu pra matar a vontade de você...

Written By: Karrike Bongiovi
08/11/2012- 15:09
(Qui)

Para minha amada amiga Karine Gonçalves 

Snow Patrol - Chasing Cars

Um Leão, um avião e uma saudade


Um leão, um avião, Um pi(passinho), apenas uma saudade. 
Uma galinha azul, blocos pelo chão de casa. 
Um chamado, um pedido, uma lágrima, algumas fotos e videos pra lembrar e disfarçar a vida. Um choro, um sonho, um abraço e dias a fora. 
Um gato, um chamado e dores por uma estrada empoeirada.
Uma espera, dois corações, pai e filho, uma promessa, o amor.

Written By:Karrike Bongiovi
04/11/2012- 05:33 a.m

domingo, 21 de outubro de 2012

Amor Incondicional


A casa ficou vazia
O silêncio tomou conta dos cômodos.
O sorriso emudeceu.
O berço e o chão ficaram sem função.
E um lado da cama ficou lá sem ninguém.
O abraço sem braços, faltou a despedida, se foi e nem sei quando volta.
O dia se tornou cinza.
Sobraram fotografias e lágrimas.
Ficou a certeza de um amor incondicional.
Saudade, apenas saudade.

Written By: Karrike Bongiovi
05/03/2012 - 22:26
(Seg)

sábado, 20 de outubro de 2012

Cabelos da Cor do Sol



Eu a achava linda com seus cabelos cor do Sol e seu sorriso leve como o vento.
Eu achava que o seu gingado sacudia o meu mundo, ela se sentia um vulcão, mas eu me contentaria com as cinzas.
Eu amava a forma como seu olhar penetrava e derrubava as minhas defesas quebrava meus escudos.
O tempo passou o Sol apagou o sorriso se tornou pesado feito chumbo, e o que se passou nestes tantos anos?
Eu amava aquela que se mostrava livre, eu me via junto a ela nas tardes mais enebriantes da minha curta vida.
E onde ela foi morrer? Onde eu a deixei neste longo caminho?
Eu amava o brilho do luar enquanto ela falava sobre o futuro.
Eu a achava linda quando o mundo para nós era apenas um caminho de distância e onde ela se perdeu?

Written by: Karrike Bongiovi
19/10/2012 - 15:55
(Sex)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Tenho Pena de ter perdido Você



Sinto sua falta todas as noites, sinto como se você tivesse morrido, mas algo silencioso e distante me traz recordações suas. 
Hoje eu tenho tudo menos aquela alegria que eu tinha em você, foram tantas idas e vindas que não pude conter a emoção neste instante a lágrima desceu queimando o meu olho, saudade de você, mas que ninguém saiba disso.
Sinto falta do seu abraço sincero, pena que essa amor tenha ficado meio esquecido, eu sinto pena porque era com você que eu queria ficar para todo o sempre.
Agora é tarde pra buscar culpas ou apontar os erros, agora é o momento de viver novos dias e respirar novos ares, mas me perdoe eu sempre sentirei sua falta e em todas as noites eu farei a mesma oração para você para que seu caminho seja iluminado.

Written by: Karrike Bongiovi
19/10/2012- 0:13
(Sex)

Viva para Sempre



O riso é a única coisa que vai te manter são.
Nesse mundo que está chorando mais e mais todo dia
Não deixe que o mal te derrube
Nessa loucura que gira mais e mais
Eu quero que você viva para sempre
Debaixo deste céu tão azul
Algumas pessoas dizem que fé é um jogo infantil
Jogue, criança, como se fosse o dia de Natal.
Cante-me uma música, cante-me uma melodia
Cante em voz alta, você é uma sinfonia
Eu quero que você viva para sempre
Debaixo deste céu tão azul
Tenha coragem quando o caminho é longo
Nunca esqueça que você nunca está sozinho
Eu quero que você viva para sempre
Debaixo deste céu tão azul.



Velha


Velha, entre livros empoeirados e poesias nulas.
Velha, entre a vanguarda dos bares antigos e as fotografias estragadas.
Velha, tu não te suportas quem dera uma criatura que vem de ti
Velha, sobe ao nada em degraus imaginários.
Velha, exponencial  de egos que te traduzem em nada que vem do singular.
Velha, palavras diferentes não te curam.
Velha flor que se abre a noite.
Dama de coisa alguma, flor morta, ventre seco de amor.
Velha, ânsias incontidas entre sapatos sujos e o vazio de caminhar para o nada.

Written By: Karrike Bongiovi
29/03/2012 - 02:05 a.m
(Qui)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Palavras Falsas de Amor para Pessoas Falsas



São muitas palavras falsas de amor, os espectadores todos estão sendo enganados, essa é a forma esdruxula de mostrar aquilo que a falsidade é capaz. 
Hoje o amor é usado como lata de lixo onde se é jogado falsidades e malicias é a forma podre de dizer um "eu te amo" ou "me perdoe" todas as vezes que se erra com a pessoa amada.
Palavras não compram sentimentos, não perpetuam casamentos, promessas foram feitas para serem quebradas porque no final tudo morre.
Vendemos nossos corações a preço de banana, deixamos de acreditar em nós e jogamos nossa felicidade nos outros. Palavras falsas de amor não compram amor eterno, as palavras ficam os sentimentos mudam, então pra que falsificar sorrisos e frases feitas, um dia tudo vem a tona, as mascaras caem e o que sobra disso tudo, nada porque o tempo peneira as mentiras e descobre as verdades.

Written By: Karrike Bongiovi
18/10/2012 - 13:54
(Qui)

O Nada


Não tenho nada para escrever porque o nada me pertence neste instante, não me vem lembranças, não me vem lágrimas, somente algumas vagas expectativas, prenúncios de continuidade do mesmo momento.
O relógio na cabeceira da cama parece não tic taquear, meus hormônios parecem não explodirem  e as células parecem não mexerem.
O nada se torna presente me representando na vida que segue junto ao vazio.
A tristeza não é o nada, as boas e más noticias em letras pretas e no papel branco se apagam e formam a falta de existência real, o nada é uma forma de expressar o luto de não ter vivido momentos gloriosos, então o nada se fez presente para o futuro em doce notas de uma melodia sem som.

Written By: Karrike Bongiovi
18/10/2012- 10:38
(Qui)   

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Enquanto eu dormia



Vai, siga em frente, se encontre na sua nova vida eu sei que você teve tempo para se preparar, enquanto eu sonhava você foi lá e fez, eu estive me preparando para fazer o melhor, mas acabei estragando anos de felicidades que você poderia ter vivido.
Hoje eu entendo os motivos que fizeram você colocar fogo na casa e ir embora, isso deveria ter mudado tanto as coisas, mas o que mudou foi o fato de que a vida se tornou comum e eu não consegui mais sorrir, eu caprichei tanto nas palavras que me perdi no final do texto e você partiu deixando o gosto amargo da solidão em meus lábios, então eu busquei na solidão a melhor forma de me expandir, de reconstruir o novo e de virar a página.

Written by: Karrike Bongiovi
16/10/12 - 13:50
(Qua)

Mundo Cão



Mundo cão tudo parece escuro e todos os caminhos estão fechados, está tudo em chamas quase virando cinzas, eu vi aquela garota com o vestido verde chorando e dizendo coisas sem sentido.
Mundo estupido você vale o que tem, você jogou fora os melhores dias e as melhores gargalhadas tentando ser aquilo que seu coração jamais permitiu que você fosse.
Não existe lógica, não existe um final final com mocinho salvando mocinha, quando seu coração é exposto em praça publica nem a garota de vestido verde pode segurar seu ímpito de loucura e insensatez.
Mundo vazio de calor e afeto, mundo tragico onde desperdiçamos o nosso melhor em coisas ruins, caminhamos numa estrada de mão única, o mundo mudou pra nós e continua mudando.
Mundo cão onde eu preciso dizer mentiras em tom de verdade pra ser compreendido, a garota de vestido verde acredita.

Written by: Karrike Bongiovi
16/10/2012- 13:31
(Qua)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Terra Vermelha


O Sol aqui se põe mais cedo, eu caminho numa terra seca, mas a alegria de está no meio do nada me deixou em paz por uns instantes, algumas pessoas sorriem porque não se preocupam com o amanhã, existe uma beleza viva nessa gente.
Os dias se passam como poeira empurrada pelo vento, as casas e os destinos vivem para sempre, eu caminho sobre a minha história, eu vi o quanto é possível descobrir o novo.
O Sol aqui nasce cedo, eu precisava pular naquela água gelada para curar os meus pecados, eu vi as crianças se sujando de barro aqui da soleira da porta, eu vi a história virando a página.
O Sol partiu numa viagem de volta para casa, e eu deixei um pouco da minha paz lá onde a terra é vermelha e os sonhos duram para sempre.

Written By: Karrike Bongiovi
15/10/2012- 17:29
(Seg)

Lembranças de uma Vida Comum




Estou tão cansado e como tantas dores que a minha alma pesa, são tantas lágrimas sobre o travesseiro, são tantos dias iguais e tantas lembranças, olho para o mundo aqui de cima e não vejo graça nas coisas comuns que as pessoas fazem normalmente como sentar em uma lanchonete ou passear de carro pela costa sentindo a brisa desmanchando seus penteados.
Estou começando a envelhecer e preciso aceita isso, me vejo voltando para casa num dia comum dentro de um ônibus vazio com um pacote de pão na mão, tudo ficou comum, o mundo ficou pequeno demais para o meu ego abissal, talvez eu tenha me preparado mal para esses dias, quem sabe eu ainda não tenha aprendido a formula certa de construir a minha existência, essa e a forma madura de entender que a gente na verdade nunca se entende.
Como estou cansado, mesmo assim e com todas dores ainda existe esperança de que a vida traga mais perguntas e menos respostas para essas indagações.

Written By: Karrike Bongiovi
05/10/2012 - 23:27
(Sex)

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Ela Vive


Ela tinha um coração vivo, mas não soube aceita que ele poderia morrer, enquanto seus discos se arranhava ela chorou no verão de 88 com suas canções sobre mudanças, onde ela ficou perdida, uma pequena fugitiva com os cabelos cheios de laque e uma mala de sonhos nas mãos ela caiu no mundo.
Ela tinha olhos castanhos e mãos frias, sempre soube que ela não desistiria que as magoas do passado se apagariam no presente e seriam cicatrizes para o futuro.
Era o começo de uma vida diferente, ela tinha um coração em chamas, as vezes ela sorri e algumas vezes ela goza a vida com champanhe e drogas, ela sabe viver.

Written By: Karrike Bongiovi
08/10/2012- 15:50

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

As Cartas Que Eu Não Mando

Assistam o video...

Rio de Janeiro
Hoje é 23 do 3
Como vão as coisas
De mês em mês
Eu me sento pra escrever pra você

Eu reformei a casa
Você nem soube disso
Nem das outras coisas
Sabe eu tive um filho
Já faz tempo que eu me perdi de você

Guardo pra te dar
as cartas que eu não mando
Conto por contar
E deixo em algum canto

Vi alguns amigos
Tropeçando pela vida
Andei por tantas ruas
São histórias esquecidas
Que um dia eu quis contar pra você

Eu fico imaginando
Sua casa e seus amigos
Com quem você se deita
Quem te dá abrigo
Eu me lembro que eu já contei com você

E as pilhas de envelopes
Já não cabem nos armários
Vão tomando meu espaço
Fazem montes pela sala
Hoje são a minha cama
Minha mesa, meus lençóis
E eu me visto de saudades
Do que já não somos nós.

(Leoni)
Assistam o video
Antes de alguém achar que fui eu quem escreveu esse texto, digo logo foi o Leoni. kkkkkkk ficou perfeito.


Estrada para o Paraíso


Cara eu estou a 100 por hora numa estrada que vai pro paraíso, mas acho que as doses de uísque foram fortes demais, estou chorando e sorrindo ao mesmo tempo, dias de loucura.
Cara eu joguei o último maço de cigarro a um quilometro atras, e agora o que me basta é correr até seus braços e dizer palavras obscenas, droga eu perdi as chaves vou ter que meter o pé na porta.
Cara eu estou jogando os litros de uísque pela janela do cara, joguei até o celular, quebrei algumas placas pelo caminho e a distancia parece não diminuir.
Depois de tantas festas e comprimidos espalhados pelo chão e me despeço de antiga vida, ligo o carro e vou pra bem longe, seu abraço me fez falta, você é meu paraíso de coisas sustentáveis.

Written By: Karrike Bongiovi
28/09/2012- 11:21
(Sex)
Bon Jovi - Lost Highway

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Cacos no Chão



Ele quebrou o vidro e quase estraçalhou meu coração, a porta fechada milhares de cacos no chão do banheiro e os pés dele tão pequeninhos ali paralizados de medo.
Ele me deixou com medo de perde-lo, de que o sonho virasse pesadelo, hoje eu não consegui dormi porque meu coração está em cacos como os vidros no chão.
Ele está bem, ele continua gritando e brincando pela sala, os vidros não destruiram o sorriso dele. Hoje o Superboy renasceu.

Written by: Karrike Bongiovi
25/09/2012- 23:59
(Ter)

Lugar Antigo



Sentado neste mesmo local tantos anos depois e nada parece igual aqui, tive que vim porque não havia outro lugar. Lembrei das manhãs de Novembro e as expectativas para o Natal, mas você sempre soube que eu odeio o fim do ano.
Que saudade, foi algo passageiro o que senti neste velho lugar onde costumavamos planejar nossos sonhos, nenhum deles deram certo somente o que dizia que tudo mudaria, realmente mudou.

Written By: Karrike Bongiovi
26/09/2012 - 14:188
(Qua)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

18 anos e um começo


Tantas coisas até chegar aqui, eu tinha outro nome, encontrei você pelo computador, depois eu te disse quem realmente quem eu era, algumas coisas aconteceram até você chegar aqui, as paredes tinhas cores diferentes mais o prazer foi igual, 18 anos e uma nova estrada, me perdoa se eu errei feio, perdoa, eu adora ficar nas madrugadas ao telefone, eu te vendo dançando, eu estou o som da sua respiração, era abril de 2010 e você estava lá com seu medo natural, meu coração em brasa.
Tantas brigas, tantos sorrisos, uma caixa cheia de esperanças, eu chorei na parada do ônibus, eu encarei de frente o leão, maldito cinema mais tarde a campainha toca, eu estou aqui para você, mesmo que você ande se decepcionando, sinto a gosto suave da sua boca, vejo você sacudindo as pernas com aflição, quantas vezes paramos o mundo, quantas vezes faltou o abridor para o vinho, quantas vezes sentimos falta um do outro, 18 anos e um começo, uma mudança dentro milhões de mudanças, então pare de chora e vá ser feliz.
Te Amo.

Written By: Karrike Bongiovi
25/09/2012 - 15:36
(Ter)

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Momento Ruim


Momento ruim, ameaças, brigas e as palavras sendo jogadas pela janela, o amor cansa e as lágrimas banham a tristeza. Eu amo a sua companhia, mas tá difícil viver, e como se o mundo tivesse desmoronado tá doendo viver aqui, desta vez é impossível fugir, estou com um elefante nas minhas costas e vendo as ruínas bem debaixo dos meus pés.
Momento complicado, eu não tenho dinheiro, não tenho um trabalho e isso nunca será o bastante e teria que ter outra vida, porque todas as outras vidas que eu vivi dentro desta foram apenas um emaranhado de decepções, falta de conclusões e perdas, e infelizmente eu sou o culpado que mergulhou na culpa alheia, vida ingrata, Deus eu atravessei o cego, eu escutei as lamentações de pessoas que me amaram num instante e me odiaram por todo resto, eu nunca ganhei aquele premio, nunca foi o centro do mundo, sempre fiquei fora das fotos importantes.
Momento ruim, abandono, descrenças, injurias as coisas sendo jogadas sobre a mesa. Eu amo a forma de como você sabe sorrir, mas odeio o jeito como você quer resolver as coisas, se casar for isso eu prefiro morrer e deixar de amar pro resto da vida, só que desta vez eu não irei chorar pelos cantos, eu tenho um rumo e não vou voltar atrás, momento ruim, um dia péssimo quem sabe um dia após dia, amanhã ou em Outubro, momento ruim, vai e vai, sentimentos confusos, silêncio e magoa.

Written By: Karrike Bongiovi
24/09/2012- 11:18
(Seg)

Carro e Grana


Houve um tempo em que tudo girava ao meu redor
Dos meus desejos e vontades
E todo mundo ria de tudo que eu dizia
E eu dizia um monte de bobagens
Eu achava que tinha de tudo para sempre
Que eu tinha amigos de verdade
Mas a verdade sempre vem bater à porta
A gente tenha ou não vontade

Já tive carro e grana
E um monte de convites pra qualquer lugar
Hoje eu só ando a pé
Mas eu continuo a andar

E aquelas pessoas que andavam ao meu redor
Hoje escolheram uma menina
Que por enquanto acredita em tudo que eles dizem
É a mesma história toda vida
O que eu sei eu sei que ela só vai descobrir
Quando ela sair de moda
Um tropeço ensina mais do que o sucesso
E é tudo bem mais claro agora

Já tive carro e grana
E um monte de convites pra qualquer lugar
Hoje eu só ando a pé
Mas eu continuo a andar.


(Leoni)

PARECE QUE O LEONI ESCREVEU ESSA MÚSICA PRA MIM.

sábado, 22 de setembro de 2012

Estupido Amor



Estupido coração que ainda se expõe, alma que se apaixona  de repente se retrai e se expande, chama acesa. 
Clarão magico em gotas de orvalho peito aberto, rescaldo. 
Estupido coração que ama quem não te quer, se mostra ao mundo, ninguém ou a pessoa amada nao lê, não vê. 
Amor estupido, sem olhos nem manhãs, algo que não corresponde. 
Estupido coração que se dilacera, se anula e se transforma em esperança, medo e saudade. 
Estupido coração se enche e  inflama, sofre, perdoa se ilude. Estupido amor, sofre e espera a proxima chance.

Written by: Karrike Bongiovi
20/06/2012- 23:53

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Oceano de Alivio


Deveria ter sido em uma outra vida, de veria ter criado outras palavras, foi apenas alguns verões.
Nós deveríamos ter notado que o tempo queimou nosso amor e nem cinzas sobraram, eu vi minha vida mudando dentro do seu olhar de esperança, você cruzou a porta e não voltou mais.
Deveria ter ficado angustiado, apenas entendi que era hora de você seguir seus passos, isso me deixou forte, eu pude vê você olhando para o mundo de uma forma que eu não me encaixava e no fim das contas dessa vez eu não sofri, estou de frente ao mar sentindo a brisa e aproveitando a liberdade que eu me dei de viver em paz.

Written By: Karrike Bongiovi
17/09/2012- 18:47
(Seg) 

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Ana Lu


Eu estou com tesão em você e agora?
Eu estou tentando acalmar o meu libido, sou um vulcão em erupção.
Quero rasgar suas roupas tirar sua meia calça e me deleitar no seu corpo
Minha cabeça está latejando imagine o resto, estou com muito tesão
Mulher misteriosa que invade meu sentimentos mais ocultos, que transborda sensualidade e me leva os raios da loucura e do desejo.
Venha furação arrebente  as veias do meu coração, me suga, me lambe e deixa eu te invadir e fazer uma revolução no seu mundo, eu preciso sentir a alegria do seu corpo.
Eu estou com tesão em você nas palavras sujas que você irá dizer no meu ouvido.
Sinto o cheiro do proibido e o prazer que escorre pela sua língua e boca.
Estou com tesão e agora?

Written By: Karrike Bongiovi
13/09/2012 - 22:05
(Qui)

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Texto 500


Aquele criança que eu fui já não existe mais, tantas coisas deixaram de existir até eu chegar neste momento crucial da vida. Aquele sorriso que eu tinha aos 15 se perdeu aos 20, aqueles livros e agendas estão guardados em gavetas empoeirando lembranças, eu já não sou aquele de ontem, eu sou apenas um brilho distante que andou deixando de existir porque a vida castiga com o tempo.
Aquele garoto cheio de sonhos com palavras de esperança de anos atrás não existe mais, só apenas resquícios e rubricas em papeis amarelados. Hoje as palavras de 500 textos atrás mudaram muito, isso é um livro que carcome a minha alma e alegra pessoas e povos distintos.
Tinha que ser em Setembro, tinha que ser 5 anos depois, aquele que eu fui se foi, despejei lágrimas, ódio e revoltas, criei revoluções e domei o monstro que havia dentro de mim, mas quero que todos saibam que eu sangrei em todos os textos. Eu tenho 32, com a cabeça de um velho de 100 e uma alma de um garoto de 16, sou um eterno conflito, então aquela criança que sorrir na foto ficou lá, ele não existe mais, porque eu tive que crescer, tive que esquecer amores, tive que me internar pra curar a loucura que eu havia adquirido quando o mundo me deu chance de me consertar, eu mentir para me sentir livre das dores internas e descobrir que nada funcionou com elas.
Não são 500 dias, são 500 passagens de coisas que surgiram do nada e do nada fiz a matéria prima que imprimem coisas que eu deveriam guardar comigo e o resto do mundo.

Written By: Karrike Bongiovi
10/09/2012 - 14:59
(Seg)

domingo, 9 de setembro de 2012

20 Dias


Faltam vinte dias, tantos desejos e anos a fio, finalmente a sua tão sonhada liberdade começa a brilhar no final do túnel e no final de tudo você não precisa se arrepender do que fez.
Faltam palavras na sua boca, falta um direção certa, mas desta vez você precisa seguir em frente, falta tão pouco, o amanhã talvez seja mais leve. Faltam poucos passos, você vive numa prisão silenciosa, se perde nos vexames em que você não tem culpa.
Faltam 20 dias e algumas noites sem sono, caminhe numa velocidade constante enquanto os outros estão parados. Falta muito pouco para você entender que agora é só o começo da caminhada.

Written By: Karrike Bongiovi
05/09/2012 - 15:15
(Qua)
Para Jessica Eduarda
Charlie Brown Jr- Só os Loucos Sabem

sábado, 25 de agosto de 2012

Casa das Vaidades



Casa de vaidades, controles remotos sem pilhas empilhando orgulhos banais.
Palavras e brigas com sentimentos vãos, fogueira de hipocrisia.
Alicerces podres e ajudas em busca de status, nas indiretas do quem pode mais as línguas se derretem no próprio veneno.
Casa empoeirada, casa vazia de vida, porque tudo é igual, dentes mordendo gente tragando mentiras e mastigando verdades.
Minutos de propagandas e na tela apenas realidades que não importam, formas de se dizer o quanto são melhores que você, pisos manchados, exposição de coisas inúteis.
Casa de miséria, manhãs de café frio, alguns olhos não abrem para o novo, dentro das paredes se esconde todo recalque de nunca conseguir ser alguém que se possa aplaudir.
Casa de maribondos, gritos, insensatez que se mistura numa cultura do “Nunca estou errado”, elitismo entre iguais porque os diplomas nas paredes são o que diferem os bons dos ignorantes.
Casa de cobiça, traições embutidas, coisas ditas pelas costas por falta de caráter.
Casa da loucura, perseguições eternas, lugar onde se concentra o lixo e luxo, verdades absolutas e mentiras eternas.

Written By: Karrike Bongiovi
25/08/2012 – 01:40 a.m

Prometa-me



Prometa-me que nunca deixará de lembrar quando nós fomos felizes
Prometa-me que nunca deixará de os tempos ruins destruir os bons
Guarde de mim as flores que te dei e você enfeitou seu cabelo cor do Sol
Viva o seu melhor e não deixe de acreditar nos milagres que vivemos
Prometa-me que nunca deixará seu sorriso apagar
Prometa-me que nunca deixará a esperança acabar.
Guarde de mim o amor que eu deixei vivo dentro do seu coração
Permita seu coração bater sobre as nuvens
Nos seus melhores momentos e eu estarei em você e você em mim.
Prometa-me que viverá em paz...

Written By: Karrike Bongiovi
25/08/2012 – 01:50 a.m
(Sab)

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sobre a Tristeza Dela


É visível a tristeza dela
e o modo como ela caminha.
Ela acha que as estrelas perderam o brilho
e ontem ela chorou na cabeceira da cama.
Talvez ela esteja dividida entre o amor e a saudade dos filhos
e o certo é que todos os caminhos parecem fechados.
Ela é forte e não desiste de sorrir 
e visível que ela está magoada.
Ela olha para o modo como as coisas ficaram fora do lugar
Acho que ela precisa respirar , ela precisa voltar para casa,
mas só existe ruínas onde um dia foi seu lar.
É visível o quanto existe amor dentro daqueles olhos apertados
e o modo como tudo se transforma de manhã bem cedo.
Ela está triste, mas isso não a faz desistir, ela procura felicidade em coisas remotas, ela procura realizar sonhos e reclama porque eu não escovo os dentes.
Ela busca a esperança perdida, ela busca o amor sempre.

Written By: Karrike Bongiovi
21/08/2012 - 09:35 a.m
Para Cleide Brito

Sixpence None The Richer - Sooner Than Later Live


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Estrada de Mão Única


Gostaria de sentir o Sol e com ele gostaria de sentir uma esperança morta
Tá difícil amar, tá difícil respirar, algumas estradas não tem fim.
Talvez seja tarde para acreditar em mudanças, amanheceu e não senti as flores morrerem.
Gostaria de viver sem dor, sem perspectivas, ultimamente minha vida tem sido um ciclo de confusões.
Mas muitas vezes eu estive certo, dizendo as verdades que tanto me cobraram.
Gostaria de caminhar sobre uma calçada de tijolos dourados, mas meu caminho é pobre, porque o mundo em que vivo tem uma mentalidade assim.
Eu vi meus dias sendo desperdiçados pelo meu orgulho, eu me trai milhares de vezes, a estrada ficou perigosa, o Sol queimou meus pecados e ficou tarde para mudar o passado, mas o futuro é uma estrada de mão única e eu gostaria de não falar mais sobre os monstro e fantasmas que aterrorizaram minha dura vida.

Written By: Karrike Bongiovi
15/08/2012 - 17:49
(Qua)

Dançando com a Lua



Cuidado comigo, eu não sou nenhum santoÉ tudo para sempre, mas só por enquantoCertas Palavras dizendo o oposto.Vendi a minha alma pra me ver no seu rosto.Os outros que mentem e eu levo a fama.Meus 15 minutos duram uma semana.Bem feito pra mim mesmo, quem foi que mandou?Agora é muito tarde foi embora acabou.
Dançando onde ninguém pode me ver.Dançando pra tentar me esquecer.Dançando pra fazer você voltar .Dançando com a lua em seu lugar.
Me sobe a cabeça, me joga no chão.É quase um desespero de estimação.Pergunto a mim mesmo porque é assim.Igual pra todo mundo mas dói bem mais em mim.Parece uma festa que não terminou.Eu sou o convidado que nunca chegou.A tarde me acalma, a noite me consome.Outro problema que eu batizo com seu nome.
Dançando onde ninguém pode me ver.Dançando pra tentar me esquecer.Dançando pra fazer você voltar.Dançando com a lua em seu lugar. 
Dinho Ouro Preto
Capital Inicial - Dançando com a Lua